O Nordeste puxou o crescimento de uso de internet em domicílios brasileiros em pelo menos três indicadores da mais recente Pnad TIC (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, segmento de Tecnologia da Informação e Comunicação), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) na última quarta-feira (14).A região aumentou a quantidade de domicílios com acesso a internet em 9,5% em um ano e foi a que mais reduziu os lares sem conexão em pontos percentuais (5,2 p.p. entre 2018 e 2019). Com esse resultado, o Nordeste fechou o ano de 2019 com 74,3% de seus lares conectados, contra 69,1% registrados no ano anterior.No mesmo período, a evolução nacional nesse segmento foi de 3,5 pontos percentuais, enquanto São Paulo variou 2,7 pontos percentuais. O estado do Sudeste conserva a segunda posição de conectividade, com 90% dos lares online, atrás apenas do Distrito Federal, que tem 94,4% das casas ligadas na rede. Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí e Rio Grande do Norte figuram entre os dez estados brasileiros com maior taxa de crescimento anual, ao lado de Amapá, Mato Grosso e Rondônia. Já em números absolutos, a lista é encabeçada por São Paulo (14,6 milhões de domicílios conectados), Minas Gerais (6,2 milhões) e Rio de Janeiro (5,6 milhões).

O Nordeste também viu sua participação no ranking nacional crescer em 1,4 pontos percentuais, sendo responsável por 19,3% entre todos os domicílios brasileiros com acesso a internet, atrás apenas do Sudeste, que lidera com 38,1% das residências conectadas do país. Sul, Centro-Oeste e Norte representam 12,8%, 6,6% e 5,6%, respectivamente.A conexão por celular foi outro indicador em que o Nordeste se destacou, com crescimento de 9,6% de acessos móveis entre 2018 e 2019. Com esse aumento, a região alcançou o estado de São Paulo na casa dos 14 milhões de domicílios com uso de internet pelo celular.

A Pnad TIC tem divulgação anual e leva em consideração os dados acumulados do quarto trimestre de cada período em relação aos acessos a internet e a televisão, além do uso de telefone móvel celular para conexão. Dados e metodologia estão disponíveis na plataforma daPnad contínua.

Ricardo Fotios é jornalista, professor universitário e pesquisador de temáticas relacionadas ao uso de tecnologias no ecossistema da comunicação e da cibercultura. É autor de Reportagem Orientada pelo Clique (Appris, 2018).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *